Descubra mais sobre a Meteorologia na Maia

Tel: 22 406 21 26 | Email: geral@maiahoje.pt



Uma resposta ao convite do Papa Francisco

Uma resposta ao convite do Papa Francisco

Liga dos Combatentes da Maia.

POLIEDRO é a “marca de água” da cidadania activa, que surge promovida por um grupo de cidadãos, e resulta: 
1. Da imaginativa metáfora do Poliedro, lançada pelo Papa Francisco; 
2. Da leitura militar da dimensão política da liga dos Combatentes;
3. Do fenómeno da globalização e da «ilusão» do capitalismo;
4. E sobretudo da crise civilizacional que vivemos. 
É esta a leitura daqueles que um certo dia, por solene juramento, empenharam a sua vida pelo seu País, e assim se tornaram os mais abalizados cidadãos para reivindicar autoridade moral e civicamente privilegiada em matéria de cidadania, bem como da sua implícita e inseparável dimensão política.
Leitura empenhada que não pode existir sem um risco de interpretação, e, por isso, comprometendo uma liberdade. Assim, colocamos à discussão pública um programa para o governo de uma circunscrição concelhia, organizada numa impressionante malha territorial de 10 Freguesias e 17 Paróquias, na plataforma Poliedro, sob a inspiração de dois ritos iniciáticos: O Juramento de Bandeira e o Baptismo, expulsos da sociedade civil pelas sociedades secular e clerical.
A marca de água Poliedro, a desenvolver na Plataforma anunciada, pode ser enquadrada e certificada por três parâmetros fundamentais: 
1. Uma atitude existencial - o Ecocivismo -;
2. Um objectivo - a construção da sociedade dos bens comuns -;
3. Os meios, ao nosso alcance, para atingir essa meta-.
1. O Ecocivismo caracteriza-se: 
1.1. Por uma conjunção harmoniosa da Ecologia do homem, sem a qual não pode haver Ecologia ambiental; 
1.2 Da Economia, não a dos economistas, do desperdício e do lixo, mas a Economia das pessoas, a Economia da comunhão; 
1.3 Do Civismo tal como ele se explicita na «escola militar da cidadania».
2. Os “bens comuns”, ou “o comum” CPR (Common Pool Resource), são aqueles bens que não podemos desejar para nós, sabendo que eles nunca poderão chegar a todos; mas são também «o comum» de uma sociedade de condomínios, de consortes, uma categoria de bens híbridos, entre os exclusivamente públicos e os exclusivamente privados, caracterizados mais por um conjunto de regras livremente aceites e sustentadas por um grupo de cidadãos, do que de uma atitude coerciva do Estado.
3. Os meios, ao nosso alcance: 
3.1 A abertura de uma Escola Nova, para a reaprendizagem da dimensão social da ética; 
3.2 A recuperação de um catecumenato social, para a explicitação de uma nova maneira de viver;
3.3 A preparação da juventude para a urgente “transição ecológica”, e a “industrialização verde”;
3.4 O ataque ao desemprego, pelo trabalho manual, em particular na agricultura, gerador de uma Terra boa para vivermos, nós e os que nos sucederem; 
3.5 A promoção do voluntariado e a cultura pela reciprocidade, e porque os tempos livres se dilatam; vi. Lançar um novo modelo de empresa promotora do Trabalho Básico Incondicional -TBI

LIP - Laboratório de Inovação Política, Portugal / Europa, para um projecto de inovação social (segundo uma leitura militar)



Se tem um projecto social
 inovador inscreva-se e 
discuta-o connosco.
ESPAÇO POLIEDRO - MAIA
Sextas-feiras às 18.00 horas
Sábados às 14.30
nucleoligadoscombatentes.maia@gmail.com




Imagens

07-Jun-2017 às 16:26, Ana Sofia Silva

Escreva um comentário

O dilema do PSD é ter gratidão a Passos Coelho e ficar neste marasmo O dilema do PSD é ter gratidão a Passos Coelho e ficar neste marasmo

Opinião de Joaquim Jorge.

Continuar a ler »