Descubra mais sobre a Meteorologia na Maia

Tel: 22 406 21 26 | Email: geral@maiahoje.pt



Liga dos Campeões: Besiktas vence no Dragão: 1-3

Liga dos Campeões: Besiktas vence no Dragão: 1-3

Mesmo sem ter jogado mal o FC do Porto foi incapaz de suster a assertividade da equipa turca, única vencedora do grupo, uma vez que Mónaco e Leipzig empataram a uma bola, naquilo que poderá ser uma vantagem na luta renhida pela classificação para a f

Era o regresso ao Dragão dos antigos jogadores Pepe e Quaresma, ambos bastante identificados com a cidade e o clube português, mas como profissionais, esta noite do outro lado da barricada.

Começou melhor o Besiktas, perante um FC do Porto algo nervoso, mas passados os primeiros cinco minutos já os Dragões começavam a ganhar terreno de jogo, e a aproximarem-se da área adversária. Estava o jogo neste impasse, e numa jogada na área de Casillas, a bola sobra para Talisca, que em posição frontal remata a contar. Decorriam 13 minutos de jogo, e o Besiktas colocava-se em vantagem.

Se já se notava algum nervosismo dos jogadores da casa, previa-se um agravamento a partir daí, contudo o FC do Porto reagiu bem, foi para a frente e passados oito minutos, num canto do lado esquerdo, marcado por Alex  Telles, correspondeu Marega a desviar de cabeça ao primeiro poste, sendo ainda a bola desviada por Tosic, a quem haveria de ser atribuído o golo.

Parecia que o Dragão queria acordar, e durante sete minutos assistiu-se a alguma pressão na área forasteira, contudo numa descida à baliza da casa, surge solto de marcação Tosun, que de fora de área arranca um remate surpresa, a que Casillas apenas se pode atirar, mas sem qualquer hipótese de defesa. Voltava a ficar em vantagem o Besiktas, mas desta feita, e embora continuasse a jogar melhor o FC do Porto, não chegava como desejava à área adversária, estando assim impedido de lograr o empate que se manteria até ao intervalo. 

Na etapa complementar o FC do Porto surgiu em campo com André André e Otávio, para os os lugares de Oliver e Corona. Por efeito das substituições, ou não, o facto é que nos primeiros 20 minutos exerceu uma pressão enorme sobre a baliza de Fabri, tendo criado umas 3 ou 4 oportunidades de golo, uma das quais safa em cima da linha pelo um defesa turco, quando iam decorridos 63 minutos de jogo.

Nos minutos seguintes, o Besiktas recompôs-se a nível defensivo e começou lentamente a sacudir a pressão inicial, de tal forma que só aos 77 minutos Fabri voltaria a correr algum perigo, não fora o facto de Brahimi rematar completamente para o ar, a cruzamento da direita de Ricardo.

Perante isto, com apenas 10 minutos para jogar, Sérgio Conceição, faz entrar Hernáni para o lugar de Danilo, que passado um minuto já rematava com intenção mas ao lado da baliza turca.

Só que aos 85 minutos, numa jogada de combinações do ataque, Babel rematou cruzado da direita, e assim bateu Casillas, que apesar de se ter estirado completamente foi impotente para desviar a bola.

Perante a impossibilidade da margem mínima e sentindo que o resultado ficava garantido a favor do Besiktas, algum público do Dragão, começava a abandonar as bancadas. Não obstante, e apesar da derrota, a equipa portista haveria de ser aplaudida pelos resistentes até final, uma comunhão a que dificilmente se assistia na época passada.

Para Senol Gunes, o treinador do Besiktas, “ganhamos cá em Portugal, pela primeira vez o que foi muito importante para aumentar a nossa motivação. Jogamos contra uma equipa muito forte e tenho que dar os parabéns aos adeptos da equipa do Porto, por terem aplaudido a sua equipa no final apesar da derrota. Hoje apesar de não termos aqui os nossos adeptos estávamos com eles, sentimos a sua presença e estamos muito satisfeitos por lhes darmos esta vitória, que assim nos dá mais chances para seguir em frente na melhor liga do mundo.”

Sérgio Conceição, que surgiu a dar o corpo às balas, ditou: “Eu disse na antevisão que abdicaríamos do que tinha sido a nossa equipa até aqui. Iniciamos com alguma falta de agressividade, sofremos um golo, reagimos bem à desvantagem, conseguimos o empate, uma bola no poste, depois sofremos o segundo e a equipa teve um bom comportamento. O trabalho que devia ser feito por alguns jogadores não foi bem feito, tentei mudar, entramos na segunda parte com grande determinação de ir á procura da vitória, muita bola dentro da grande área mas depois sofremos o terceiro. Em termos estratégicos se há alguma responsabilidade eu assumo isso. O principal em termos globais sou eu o culpado de não termos ganho o jogo aqui hoje. O futebol é eficácia, mas estamos a um ponto de segundo lugar, portanto em termos estatísticos está tudo em jogo na mesma, o Porto tem qualidade, não fica atrás do Besiktas, e temos todas as condições para também ir buscar pontos fora."

Imagens

13-Sep-2017 às 22:50, Francisco Bacelar

Escreva um comentário

Livro sobre os “emails” apresentado com o título “O Polvo Encarnado” Livro sobre os “emails” apresentado com o título “O Polvo Encarnado...

Francisco J Marques, diretor de comunicação do FC do Porto e Diogo Faria, comentador do programa Universo Porto do Porto Canal, apresentaram hoje à imprensa um livro escrito em coautoria sobre os polémicos emails que têm vindo a denunciar nesse pro

Continuar a ler »