Descubra mais sobre a Meteorologia na Maia

Tel: 22 406 21 26 | Email: geral@maiahoje.pt



LIGA: FC do Porto vence Moreirense 3-0

LIGA: FC do Porto vence Moreirense 3-0

Depois de Sporting e Benfica terem vencido os seus jogos, foi a vez do Porto arrecadar os 3 pontos após o desaire em casa perante o Vitória de Guimarães.

Era o segundo jogo consecutivo em casa para o FC do Porto, uma semana depois de ter perdido em casa perante o Vitória da cidade berço, algo que Sérgio Conceição ainda não tinha experimentado no Dragão, desde que encarnou o papel de treinador.

O Moreirense, à partida não parecia capaz de repetir a façanha dos seus vizinhos, mas a bola é redonda e os resultados só são registados como efetivos depois dos 90 m, e respetivos descontos, como aliás os portistas bem sabem pela experiência recente.

O filme do jogo praticamente começa com a grande penalidade assinalada pelo árbitro Hélder Malheiro por suposta falta de Loum sobre Aboubakar, quando iam decorridos apenas 9m de jogo. Mas antes que o pontapé fosse batido, o árbitro foi chamado pelo VAR e acabaria por assinalar canto a favor dos portistas. Balde de água fria para os adeptos nas bancadas que todavia haveria de durar pouco. Aos 15m Herrera abriu o marcador após canto de Alex Telles, com o estreante Éder Militão a desviar antes do remate final.

O Moreirense começou a tentar chegar-se mais à frente, mas a defesa portista em bom plano, ia sacudindo, até com bons apontamentos do estreante Militão. Até que aos 28 minutos, Otávio lançou para Marega que viu o remate esbarrar no poste aparecendo de pronto Aboubakar a finalizar, resultado que haveria de prevalecer ao intervalo, bem parecido com o da semana anterior, e portanto pouco tranquilizador.

Na segunda metade, o Porto apareceu com vontade de ampliar, mas o jogo começava a ficar cada vez mais parecido com o da semana anterior, exceto nos golos que o Moreirense afinal não alcançava. É certo que aos 56 m, Brahimi rematou na pequena área com a bola a bater nas malhas laterais tendo-se inclusive gritado golo no estádio, mas a máquina portista continuava a não jogar como fazia antes de se adiantar no marcador. De tal forma que o jogo começou a desenrolar-se apenas no meio campo portista, tendo o Moreirense  ameaçado num canto aos 63m e quase marcado aos 68m perante remate de Chiquinho a que Iker Casillas se opôs com classe.

Sérgio Conceição bem tinha substituído Aboubakar por Corona na tentativa de dar mais largura e velocidade no ataque, mas nada surtia efeito quando já só faltavam 20 minutos para o fim, pelo que também fez entrar Oliver para o lugar de Sérgio Oliveira, que mais uma vez não surtia efeitos na consistência do seu futebol.

Decorriam 81 minutos quando Sérgio Conceição fez entrar Danilo, ausente por lesão durante 5 meses, para o lugar de Brahimi, entrada efusivamente aplaudida pelo público da casa. Com este regresso o FC do Porto passa a contar com o seu campeão europeu, pedra bastante influente do seu miolo. Sendo certo que a partir daí o Porto passou a jogar um pouco mais adiantado, o fantasma dos dois jogos anteriores em que esteve a vencer por dois golos e acabaria a ganhar com dificuldade em Belém e a perder em casa com o Vitória, ia prevalecendo.

Até que já depois dos 90m, e no seguimento de uma jogada embrulhada na área do Moreirense, Marega remata a contar, fazendo o terceiro do FC do Porto e de certo forma dando a tranquilidade que ia demorando a chegar apesar da diferença de 2 golos. Este golo foi também importante para que o público aplaudisse, sem filtro, o jogador que recentemente esteve ligado a uma possível transferência, criando-se alguma polémica que certamente seria do interesse portista ver afastada definitivamente, coisas que os golos têm o dom de permitir ou facilitar.

Em tom de rescaldo foi um bom jogo do Moreirense, à luz dos seus recursos, e do Porto pelo menos até ao seu segundo golo, perante mais de 43000 espetadores nas bancadas.

Imagens

02-Sep-2018 às 21:21, Francisco Bacelar

Escreva um comentário