Descubra mais sobre a Meteorologia na Maia

Tel: 22 406 21 26 | Email: geral@maiahoje.pt



LIGA: Sporting marca primeiro mas sai derrotado do Dragão (2-1)

LIGA: Sporting marca primeiro mas sai derrotado do Dragão (2-1)

Uma espécie de “aquecimento” para a final do Jamor, quando já pouco contava o resultado para ambas as equipas, apesar de apenas com 10 desde cedo, o Sporting chegou a estar em vantagem, mas não resistiu nos minutos finais.

Jogava-se o clássico 111 em casa do FC do Porto, que com esta vitória chegou às 62 vitórias contra 19 do Sporting, com outra particularidade de ser a nona vitória dos Dragões nas últimas 10. O jogo em si já pouco contava, uma vez que mesmo vencendo o FC do Porto precisava de contar com uma derrota do Benfica, um cenário em que só a estatística poderia acreditar ligeiramente.

O certo é talvez pelo pouco interesse o jogo também não aquecia, apesar de um FC do Porto com mais iniciativa mas sem criar verdadeiro perigo ou sequer aproximar-se da baliza.

Aos 17 minutos Corona isolava-se frente a Renan Ribeiro, Borja vai ao seu encontro e vê-se obrigado a intervenção menos católica. Fábio Veríssimo respondeu com um vermelho direto, depois de consulta do VAR e visualização das imagens, pelo que o Sporting ficaria com menos um em campo com muito jogo pela frente.

Seria de pensar que os da casa procurassem mais pressão perante a vantagem numérica, o que aconteceu até pelos 62% de posse de bola, mas não se traduzia em golos.

No recomeço da segunda parte a claque portista desfraldou uma faixa quase do tamanho da sua bancada, com a imagem de um plantel completo onde até constava o primeiro ministro António Costa, vestindo a camisola do Benfica, mas na versão em negro e o texto de Campeões Nacionais 18/19, em alusão à vitória do seu rival na Liga, segundo eles pouco limpa.

Após o intervalo o Sporting entrou com outra disposição, mas foi o FC do Porto a criar perigo, primeiro a remate ao lado de Danilo, e logo a seguir uma cabeçada de Soares. Quem não marca sofre e aos 61m, em contra ataque Acuña assiste Luiz Phellype que não desperdiça e assim fica em vantagem na sua primeira oportunidade na partida, ou seja eficácia a 100%.

O golo fez acordar o Dragão e o FC do Porto intensificou o ataque começando finalmente a criar verdadeiras oportunidades pelo que acabou por ser com naturalidade que chegou ao empate com a cabeçada de Danilo que respondia a um canto, quando iam decorridos 78m.

Apesar do empate o FC do Porto não tirou o pé do acelerador e aos 86m Herrera faz um golo em pontapé acrobático, fazendo assim o resultado final e, quiçá, despedindo-se do Dragão em apoteose.

Com a vitória as bancadas ficaram mais animadas e no final o plante, apesar de ter feito a tradicional roda no meio do terreno no final dirigiu-se a agradecer em primeiro lugar aos Super Dragões, mas de seguida fez uma volta ao campo para um agradecimento geral.

Perto do final houve um momento de “mosquitos por cordas” entre os dois planteis que levou à expulsão do Corona e, infelizmente, aquece as coisas para a final do Jamor, que apesar disso esperamos seja mais pacífica.

 

 

 

Imagens

18-May-2019 às 22:53, Francisco Bacelar

Escreva um comentário