Descubra mais sobre a Meteorologia na Maia

Tel: 22 406 21 26 | Email: geral@maiahoje.pt



ATP Challenger Tour volta à Maia 17 anos depois

ATP Challenger Tour volta à Maia 17 anos depois

Tenistas de mais de 20 países disputam o “Maia Open”, que regressa, após 17 anos de interregno.

De 18 a 24 de novembro próximos, a Maia será palco para a terceira e última paragem do ATP Challenger Tour em Portugal, este ano. O torneio internacional, organizado pela Federação Portuguesa de Ténis e pela Câmara Municipal da Maia, vai ser disputado nos courts cobertos do Complexo Municipal de Ténis da Maia, em terra batida indoor, e distribuir mais de 46 mil euros em prémios monetários, à semelhança do que aconteceu nos torneios de Braga e de Lisboa, em maio passado.

«Este é o último torneio que encerra a época ATP e que conta para a entrada no ranking que dará acesso ao Austrália Open», explica Vasco Costa, presidente da Federação Portuguesa de Ténis.

Pela Maia irão passar tenistas de vinte nacionalidades, que já figuraram no topo da hierarquia ATP, como é o caso do italiano Paolo Lorenzi, atualmente na posição 118ª, mas que já foi o número 33 do mundo. Numa lista encabeçada pelo seu compatriota Salvatore Caruso (98º do ranking), podemos igualmente encontrar o eslovaco Andrej Martin, 110º ATP, Thomas Fabbiano, 117º ATP, o também italiano Gianluca Mager, 119º, ou o português Pedro Sousa, atualmente no lugar 127º lugar. Para além de Sousa, há um forte contingente luso presente na Maia, começando pelos tenistas com entrada direta no quadro principal: Frederico Ferreira da Silva, que figura na sua melhor classificação  de sempre (174.º) e João Domingues, 196.º do mundo.

A juntar a estes jogadores portugueses, foram atribuídos wild cards (convites da organização) a mais três tenistas, Tiago Cação, Nuno Borges e João Monteiro. Os restantes dois “wild cards” para o quadro principal e o convite para o qualifying serão divulgados posteriormente.

A apresentação oficial do Maia Open decorreu na manhã de ontem, 14 de novembro, na Sala D. Pedro IV do Edifício dos Paços do Concelho e contou com a presença de António Silva Tiago, presidente da Câmara Municipal da Maia,  Vasco Costa, presidente da Federação Portuguesa de Ténis, António Paes de Faria, presidente da Associação de Ténis do Porto, e João Maio, diretor da prova.

O Challenger da Maia será, desta forma, o quinto torneio internacional de “grande calibre” a acontecer em Portugal em 2019.

«Um torneio destes é excelente para a Maia. Já tivemos um melhor, mas perdêmo-lo», referiu António Silva Tiago, presidente da Câmara Municipal da Maia, acrescentando que o torneio é para continuar nos próximos anos, mas «cada vez melhor».

Para acolher esta competição, foram feitas obras de requalificação no valor de 50 mil euros. Silva Tiago explica que estas foram obras de curto prazo, «de remedeio», e que o Complexo Municipal de Ténis será alvo de obras de requalificação em breve, adiantando que o projeto para as mesmas já está em curso.

A Maia tem já um longo percurso na história do ténis e uma larga tradição no que ao mesmo diz respeito, tendo sido palco de uma prova ATP Tour em 1996, seguindo-se a organização de torneios do ATP Challenger Tour, na altura denominado ATP Challenger Series, nos anos de 1999, 2000, 2001 e 2002. 17 anos depois está de volta à Maia e promete ser atração de muitos aficionados do ténis.

 

15-Nov-2019 às 15:06, Ana Sofia Silva

Escreva um comentário