Descubra mais sobre a Meteorologia na Maia

Tel: 22 406 21 26 | Email: geral@maiahoje.pt



Liga: Mão cheia (5-0) do FC do Porto à Belenenses SAD

Liga: Mão cheia (5-0) do FC do Porto à Belenenses SAD

Com esta vitória o FC do Porto mantém a vantagem de 6 pontos sobre o Benfica, e até pode sagrar-se campeão, no sofá, já na próxima jornada, caso vença o seu jogo em Tondela, e horas depois o rival perca em Famalicão. Conjugação difícil, mas possível.

Antes do apito inicial fez-se um minuto de silêncio por Senhinho falecido esta semana. Antiga glória do FC do Porto, veloz extremo dos anos 70, herói de Manchester que permitiu a passagem em frente dos Dragões na Taça das Taças, com os seus dois golos em arrancadas do meio campo, na derrota por 5-2, mas decisivos depois da vitória em casa por 4-0.

O FC do Porto começou a fazer o que lhe competia procurando adiantar-se no terreno, contudo, só aos 11m logrou um remate à baliza, mas aos 20m, só tinha rematado mais uma vez, enquanto em pezinhos de lã o Belenenses SAD, já havia rematado por três vezes, e logrado o único canto até ao momento. A partir daí, foram os Dragões que tomaram conta do jogo, começando a criar mais perigo que haveria de se transformar em golo quando aos 31m, Soares correspondeu de cabeça a um centro da direita de Otávio.

Passados uns minutos foi a vez de Uribe, meter a bola na baliza, mas o lance foi invalidado por condução da bola com o braço. Logo a seguir Sérgio Oliveira ainda rematou forte e colocado, mas a bola saiu a rasar o poste da baliza dos homens de Belém, e assim se foi para o intervalo com a magra vantagem de um golo por parte da equipa da casa, malgrado os 63% de posse de bola.

Na metade complementar tudo foi diferente, pois logo aos 58m, Corona mete a bola num desmarcado Marega que apenas teve que correr uns metros, sobre a direita, e rematar cruzado para fazer a bola passar por um impotente Koffi, apesar de ainda lhe ter tocado com o pé, não conseguiu evitar o golo, que ditava a ampliação da vantagem e consequente maior relaxe dos jogadores azuis e brancos pela pressão de obter os 3 pontos que lhe permitiriam manter a vantagem de 6 pontos sobre o rival da Luz.

Se até aí o ascendente já era do FC do Porto, daí em diante, mais se acentuou, desde logo pelo recém entrado Luis Diaz, que entrou na área e quando se preparava para rematar, foi derrubado por Phete. Na correspondente grande penalidade, a cargo de Alex Telles, este não falhou, e fez o terceiro da partida. Logo depois também cabia a Alex Telles a marcação de um pontapé livre, sobre a direita à entrada da área, mas contrariando as instruções que tem, resolveu oferecer a oportunidade a Fábio Vieira, e o “miúdo” não a enjeitou, fazendo o remate colocado, que passou ao lado da barreira e entrou ao poste mais longo, fazendo o quarto da partida e o seu primeiro golo da carreira com a camisola da equipa principal, efusivamente festejado pelos colegas de equipa.

Mas não ficaria por aqui o resultado que só fechou um golo portentoso de Luis Diaz, depois de receber a bola a meio campo, correr até próximo da área, e em lugar de passar a um colega, driblou dois adversários para a direita ficando em posição frontal de onde disparou um remate fulminante sem qualquer hipótese de defesa para o guardião da Belenenses SAD.

Logo a seguir terminava o jogo, com o FC do Porto a fazer o seu melhor resultado desta época, mantendo a invencibilidade das suas redes pelo 5º jogo consecutivo, ao mesmo tempo que alcançava o melhor ataque com 62 golos, que estava em posse do seu rival direto, o Benfica, garantindo também a melhor defesa, com apenas 18 golos sofridos.


05-Jul-2020 às 22:53, Francisco Bacelar

Escreva um comentário